domingo, 14 de novembro de 2010

Peixe ensopado à moda da mama

Esta é uma das receitas que presenciei minha mãe fazer durante a minha infância e adolescência e, apesar de gostar dela, nunca tive a curiosidade de anotá-la. Depois que minha mãe se foi, sempre fiz esta receita trazendo à lembrança os passos que a vi realizar e sempre deu certo. Durante anos, fiz exatmente como ela fazia: com peixe em posta, cebola, tomate e pimentão em rodela, mas nunca fotografei o prato. Desta vez, fiz algumas modificações e um acréscimo, mas o sabor continuou bem parecido com o que ela fazia. Ao invés de usar peixe em posta, usei em filé; o tomate, a cebola e o pimentão foram picados em quadradinhos. Além disto, acrescentei o azeite de dendê que dá um toque especial. Para esta receita é preciso:

Ingredientes:
1 kg de peixe em posta ou em em filé (eu usei o de Panga)
5 dentes de alho grandes
sal à gosto
3 colheres (sopa) de shoyu
3 batatas grandes ou o suficiente para fazer 2 camadas
1 cebola grande
2 tomates grandes picados
1 pimentão médio
cheiro verde à gosto
3 colheres (sopa) de azeite de dendê



Modo de fazer:
Descasque os dentes de alhos e soque com o sal. Acrescente o shoyu e faça uma pasta para temperar os peixe e, depois, reserve-o.
Descasque a cebola e pique-a em cubos. Corte o pimentão ao meio, retire as sementes e pique-o em cubos. Tire apenas a parte do cabinho do tomate e depois pique-o em cubos com pele e semente.

Pique o cheiro verde o mais fino que conseguir. Numa tigela, misture a cebola, o tomate, o pimentão e o cheiro verde e reserve.

Descasque as batatas e pique-as em rodelas da espessura do dedo médio.

Numa panela média, coloque a primeira camada de batatas, a segunda de peixe e a terceira de temperos. Repita as 3 camadas. Regue com o azeite de dendê, tampe a panela e leve ao fogo alto para cozinhar. Quando levantar fervura, abaixe o fogo e deixe cozinha até que as batatas estejam macias.
E depois deste tempo, o resultado foi este.



OBS.:  É importante colocar o peixe sobre a batata para que o tempero do alho-sal-shoyu passe para ela durante o cozimento. Quem gosta de pimenta como eu, pode colocá-la, mas como só eu gosto aqui em casa, coloco só no meu prato. Outra coisa: dependendo do peixe e da quantidade de água em cada hortaliça, pode resultar em mais ou menos caldo. Se for mais, não se preocupe, pegue parte do caldo e faça um pirão para acompanhar o prato (só não vale tentar resolver o problema deixando ferver mais para o caldo secar, pois a batata e o peixe vão passar do tempo de cozimento). Se for para menos, aí é só servir aproveitando-o para molhar o arroz. É uma delícia.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Bolo ou broa de fubá 1 x 1

Gosto muito do milho, dos seus derivados e do que prodemos fazer com eles na culinária. Bolo de fubá ou broa é uma das opções de sua utilização e existem inúmeras receitas. A que eu vou postar hoje é a mais fácil, rápida e básica que já fiz; e para quem gosta de seguir receita como eu, esta dispensa pesquisa na hora de fazer de tão simples que é.

O bolo de fubá evoca em mim muitas lembranças da minha infância, pois talvez seja o que eu mais comi naquela época, e recebia o nome de broa pela minha mãe. Não sei se todos concordam, mas a broa tem uma textura mais seca e esfarela mais que o bolo, por isto, acho que esta receita se encaixa mais como broa. É excelente opção para aquele cafezinho da manhã ou da tarde, acompanhado de um café preto ou misturado com leite, conforme a preferência, podendo ser complementado com um "queijim mineirim" da terra dos meus pais. Vamos à receita.

Ingredientes:

2 ovos inteiros
2 colheres (sopa) de margarina (80% de lipídeos)
1 xíc. (chá) de leite
1 xíc. (chá) de açúcar
1 xíc. (chá) de fubá
1 xíc. (chá) de farinha de trigo
1 colher (sopa) de fermento em pó

Modo de fazer:

Ligue o forno para preaquecer. Unte e enfarinhe a forma na qual será assado o bolo. Reserve.

No liquidificador, coloque os 4 primeiros ingredientes e bata até ficar homogêneo. Acrescente o fubá e a farinha de trigo e bata novamente. Acrescente o fermento e dê mais uma batida rápida. Despeje a massa na forma  e leve a assar em forno 180º até que fique corado por cima. Sirva com chá, café, café com leite ou com a bebida de sua preferência.

OBS.: por ser uma massa mais seca, esse bolo deve ser consumido, preferencialmente, nos dois primeiros dias, pois à partir do terceiro já começa ficar mais seco. Aqui em casa não deu tempo pra isto.

domingo, 31 de outubro de 2010

Frango ao molho de tangerina

Oi pessoal.

Vocês sabem que estou modificando a minha alimentação para redução de peso e já se foram 11 kg, graças a Deus. Mas, assumir uma nova postura diante da comida é um processo que passa primeiro pelo psicológico para depois passar pela mesa propriamente dita. Esse trabalho no psicológico tem sido realizado por meio da racionalização da minha realidade, colocando em xeque o que eu realmente preciso e não somente o que desejo. Isto exige algumas atitudes, dentre elas - organização. Preciso organizar meu tempo, minhas porções e, também, minhas receitas, pois não se trata de fazer dieta, mas sim, de ter uma nova relação com a comida, comendo de tudo. A receita de hoje tem tudo a ver com isto, pois é saborosa e light; os ingredientes engordativos são usados em pouca quantidade.

Essa receita chegou até a mim por meio da revista "Nestlé com você", da qual eu sou assinante. Para quem desejar recebê-la gratuitamente, entre no site da Nestlé e faça o cadastro. Você a receberá em casa trimestralmente. Mas a receita também está disponível pelo site.

Então vamos lá.




Ingredientes:

500 gr de filé de frango em tiras
1 colher (sopa) de Fondor Maggi
1 colher (sopa) de óleo

Molho:

1 colher (sopa) de farinha de trigo
1 xíccara (chá) de suco de tangerina
1 colher (sopa) de gergelim torrado para polvilhar

Modo de fazer:

Em uma tigela, tempere o frango com o Fondor. Em uma frigideira, aqueça o óleo e doure o frango. Retire-o da frigideira e reserve.

Na mesma frigideira coloque a farinha de trigo, doure-a e acrescente o suco de tangerina, mexendo bem, por cerca de 3 minutos ou até engrossar. Misture o frango reservado e sirva polvilhado com o gergelim.

OBS.: Esta receita além de ser light, tem custo baixo e é super fácil e rápida de fazer. Como prato principal, pode ser acompanhada com batatas, ou arroz, ou uma massa e, é claro, uma bela salada. Como a tangerina que eu comprei estava bem doce, a receita ficou um agridoce bem marcante, com um toque cítrico. Para quem não gosta de sabor agridoce, diminua o suco da tangerina colocando só um pouquinho para dar o sabor da fruta.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Ragu de frango com polenta ao queijo mussarela

Ragu é um molho a base de carne cozida, de origem italiana, mas com diversas variações dentro da própria Itália, bem como em diferentes países. As modificações em cada cultura geraram diferentes receitas de ragu, mas preservando o conceito básico de molho.

Aqui apresento a minha versão para esse molho tão conhecido, acompanhado de uma polenta envolvida em queijo mussarela.



Ragu de frango

1 peito de frango pequeno (depende do tamanho da família)
4 dentes de alho amassados
sal e pimenta à gosto
2 colheres (sopa) de shoyu
1 colher (sopa) de óleo vegetal
½ xícara (chá) de bacon picado
2 tomates grandes sem pele bem picadinhos
1 cebola grande bem picadinha
¼ xícara (chá) de manjericão bem picadinho
1 xícara (chá) de molho de tomate pronto
1 sachê de caldo de bacon (ou galinha)
1 xícara (chá) de água

Modo de fazer:

Retire a pele do peito de frango e pique-o em cubos pequenos. Tempere com o alho, o sal, a pimenta e o shoyu. Reserve.
Numa panela grossa, coloque o óleo vegetal e acrescente o bacon para fritar. Enquanto isto, pique o tomate, a cebola, o manjericão e reserve.
Quando o bacon estiver frito, retire-o e na mesma panela coloque o peito de frango reservado para fritar. Quando estiver totalmente corado, acrescente o bacon frito, a cebola e o tomate, mexa e acrescente ½ xícara de água, tampe e deixe cozinhar em fogo baixo, mexendo de vez em quando. Quando o tomate estiver desmanchando, acrescente o molho de tomate pronto e a outra ½ xícara de água, acrescente o caldo de bacon e, se necessário, acerte o sal. Tampe e deixe cozinhar mais um pouco até que fique com um caldo grosso. Desligue, acrescente o manjericão e sirva quente.

Polenta ao queijo mussarela

3 xícaras (chá) de água
1 xícara (chá) de fubá fino
1 colher (sopa) de óleo vegetal
1 sachê de caldo de galinha ou de legumes
sal à gosto
200 gr de queijo mussarela em fatias

Modo de fazer:

Numa panela grossa, coloque todos os ingredientes, menos o queijo. Leve ao fogo mexendo sempre até começar a engrossa, abaixe o fogo, mexa mais um pouco, tampe a panela e deixe cozinhar. É necessário mexer de vez em quando para que a polenta cozinhe por igual. Quando estiver soltando do fundo da panela, já está pronto. Coloque metade da polenta numa vasilha, distribua metade do queijo, coloque o restante da polenta e distribua por cima o restante do queijo. Sirva quente com o ragu.

OBS.: esta receita tem cheiro de infância para mim. Minha mãe, uma autêntica mineira, sempre fazia angu (de consistência para cortar e com pouco ou nenhum sal) e, de vez em quando, ela acrescentava um molho qualquer a ele, denominando-o de angu à baiana. Claro que não era a receita original, mas uma versão ao gosto da nossa família. Na verdade, essa receita postada também poderia receber o nome de polenta à baiana, mas como o molho está mais para a versão ragu que para a baiana (que leva miúdos de boi), preferi nominá-lo como está acima.
O ragu também pode ser servido com macarrão, nhoque ou outra tipo de massa, pois é um molho muito versátil.
Então, bom apetite!

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Casadinho cremoso

Oi pessoal,

estou bem sumida, mas trabalhando 8h por dia fora de casa, somando-se a isto o turno doméstico, a filhota de 4 anos e o marido, não "sobra" tempo para meus hobbies. Mas, as receitas estão se acumulando no meu arquivo e sempre que puder vou postando algumas. A receita de hoje é um docinho que fiz para o aniversário da minha filha e parece que todos gostaram. É uma receita muito simples, mas igualmente muito gostosa. São duas receitas distintas que resolvi servir juntas e ficou uma delícia.



Cocada de colher

2 caixinhas de leite condensado
2 colheres (sopa) de margarina (80% de lípídeos)
100 gr de coco ralado (pode ser de pacotinho)
1 ½ xícara (chá) de leite
1 caixinha de creme de leite com soro
 
Modo de fazer:

Numa panela grossa, misture os 4 primeiros ingredientes e mexa até o ponto de beijinho mole. Retire do fogo e mexa mais um pouco; quanto mais mexer, mais cremoso ficará o doce. Acrescente aos pouco o creme de leite e mexa mais. Transfira para a vasilha na qual vai servir ou em porções individuais. Leve à geladeira até a hora de servir.

Brigadeiro cremoso

2 caixinhas de leite condensado
2 colheres (sopa) de margarina (80% de lípídeos)
6 colheres (sopa) de achocolatado de boa qualidade
1 caixinha de creme de leite com soro
1 pacote de chocolate granulado

Modo de fazer:

Numa panela grossa, misture os 3 primeiros ingredientes e mexa até o ponto de brigadeiro mole. Retire do fogo e mexa conforme orientado na receita acima. Acrescente aos pouco o creme de leite e mexa mais. Transfira para a vasilha na qual vai servir ou em porções individuais. Coloque o granulado por cima e leve à geladeira até a hora de servir.

Montagem para festa:

Você pode servir cada um sozinho no copinho ou fazendo casadinho (que é a minha montagem). Usando a criatividade, dá para fazer várias combinações, inclusive com outras receitas. Cada uma das receita é uma delícia, e as duas juntas então.... Só experimentando para saber.

OBS.: Os copinhos para servir são encontrados em lojas de artigos para festa. Existem diferentes capacidade; o que eu usei é de 40 ml. Achei um tamanho bom, pois dependendo do que será servido na festa, um a dois copinhos por pessoa é o suficiente. Mas, quando tem variedade, lembre-se que o consumo aumenta, pois a maioria das pessoas quer experimentar um pouco de cada.
Outra coisa, a margarina 80% lipídeos é a que eu sempre uso para culinária, pois a textura das receitas fica ótima e o sabor diferenciado; fica semelhante ao uso de manteiga.

domingo, 22 de agosto de 2010

Filé de frango com batatinha aperitivo

Oi pessoal,

Confesso que tenho tido muita vontade de postar, mas não tenho conseguido um tempo para isto. Hoje, depois de muitos afazeres, estou de volta e feliz por isto.

A receita de hoje vem do livro da Hellmann's, Receitas de Verão - com Edu Guedes, acrescida dos filés. A receita original é só com as batatas. Resolvi juntar a carne e achei que deu certo, já que batata e carne é uma combinação versátil da culinária. Para acompanhar, basta uma salada e a refeição está completa.





Batatinha Aperitivo

Ingredientes:

1 kg de batata bolinha com casca
5 xícaras (chá) de água morna
2 colheres (sopa) de sal
2 colheres (sopa) de tomilho fresco
2 colheres (sopa) de salsinha picada
3 dentes de alho amassados
3 colheres (sopa) de azeite de oliva
1/2 xícara (chá) de molho barbecue Hellmann's

Mode de fazer:

Em uma panela, coloque a batata, 4 xícaras (chá) de água morna e o sal. Cozinhe em fogo médio por 20 minutos ou até a batata ficar macia. Escorra, coloque a batata em uma tigela e misture o tomilho, a salsinha, o alho, o azeite, o molho barbecue e o restante da água morna. Reserve por 2 horas ou até esfriar.

Dica:
Antes de cozinhar, faça alguns furos com um garfo na batata. Se preferir, reserve a batata já temperada na geladeira, de um dia para o outro. Quanto mais tempo a batata ficar no molho, melhor será o seu sabor.




Filé de frango

Ingredientes:
1 peito de frango cortado em filés finos
2 dentes de alho grandes
sal à gosto
2 colheres (sopa) de molho barbecue
2 colheres (sopa) de óleo

Modo de fazer:

Descasque e amasse os dentes de alho, misture com o molho barbecue e acerte o sal à gosto. Com esta mistura, tempere os filés e deixe descançar por 20 a 30 minutos. Em uma frigideira antiaderente, coloque 1 colher (sopa) de óleo, arrume 1/2 do filés e grelhe dos dois lados até que fique dourado. Repita a operação com o restante do filés.

Montagem:
Coloque os filés grelhados no centro de um prato ou travessa, arrume as batatas ao redor, regue com o molho das batatas e decore com um raminho de manjericão, ou tomilho, ou salsinha.

OBS: na receita das batatinhas eu substitui o tomilho por manjericão, pois não o tinha em casa. Quando eu fizer de novo esta receita, vou fritar o alho antes de colocá-lo no molho, pois não gostei do gosto dele crú.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Saladas e saladinhas

Oi pessoal,


Como já havia falado, estou fazendo Reeducação Alimentar - RA, e estou bastante contente com os resultados. Em 1 mês consegui eliminar 4 kg, variando a perda de semana para semana. Estou seguindo o programa dos Vigilantes do Peso e tenho me adaptado muito bem, pois além de não ser restritivo (com relação a não permitir o consumo de alguns alimentos), o programa é flexível, me deixando livre para compor o meu cardápio diário, atendendo aos meus gostos e até umas receitas calóricas vez por outra. O que na verdade me conforta é saber que não se trata  de uma dieta, mais de um programa que ensina a controlar o peso por meio de escolhas inteligentes dos alimentos, de modo que não haja ingestão de calorias maior que as necessárias para a manutenção do corpo. E, falando em reeducação alimentar, não pode faltar salada. Na verdade, como boa filha de mineiros, como muitas hortaliças desde criança e isto não mudou em nada a minha rotina. Assim,  aqui vão algumas fotos de saladas que tem feito parte dos meus cardápios, inclusive algumas mais calóricas.


Salada de alface, rúcula, tomate cereja e queijo branco fresco

 


Salada de alface, rúcula, tomate e manga 

 


Salada de alface, rúcula, ovinho de codorna e kani


Salada de milho, azeitona e tomate



Salada de pepino japonês, tomate e cebolinha




Salada de brócolis, cenoura, milho, azeitona e chuchu

 
 

Salada de maionese (à moda mineira e carioca)




Salpicão à moda da casa (a minha, é claro!)





As receitas da salada de maionese e da de salpicão promete postar amanhã, pois o olho já está fechando de sono. As demais, de tão simples, não carece de receita, hihihi.

Nos dias que estavam muito frio, optei por "saladas quentes" que nada mais é que fazer os legumes salteados. Outro dia posto essa opção e outras como ratatuille, jardineira de legumes, etc, para enfrentar os dias frios sem engordar demais os pratos e o corpo, hihihi.

Então, até mais.

terça-feira, 29 de junho de 2010

Depois de um longo inverno....

Oi pessoal,

Pois é, fiquei muito tempo "fora do ar" e parece que até tinha abandonado o blog. Mas não foi isto não; a razão é que estou fazendo mudanças na minha vida e toda mudança exige planejamento, leitura, adequações e muita ação para se concretizar. Então, é tudo isto que estou fazendo para minha nova proposta de vida - REEDUCAÇÃO ALIMENTAR.

Desde o ano passado, venho tendo problemas de saúde e com o agravamento destes, estou tomando esta atitute de mudar enquanto ainda há tempo. Claro que isto não quer dizer parar de fazer pratos saborosos e nem deixar de postá-los. Significa apenas que estou aprendendo a adequar as porções de comida necessárias ao meu corpo e não aos meus olhos e paladar. Posso comer de tudo, tudo mesmo, mas dentro do limite da real necessidade e não da vontade. Claro que as adaptações e substituições sempre deixam uma receita mais leve, em termos de calorias, ou mais saudável. Mas toda alimento é permitido, inclusive a gordura, pois o corpo também precisa dela. Assim, vou criar um arquivo só de comida light para quem tiver interessado em melhorar também a alimentação nesse quesito.

Para não ficar só nessa justificativa, vou postar uma receita simples que já está guardada nos meus arquivos a algum tempo.

FILÉ DE PEIXE À MILANESA ou À PARMEGIANA



Ingredientes:
1 kg de filé de merluza
3 dentes de alho amassados
1 limão (suco)
sal e pimenta a gosto

Molho:
1 colher (sopa) de óleo vegetal
2 dentes de alho amassados
1 cebola bem picadinha
3 tomates sem pele e sem sementes picados
1 lata de molho de tomate pronto
2 colheres (sopa) de coentro picadinho
1 sachê de caldo de legumes em pó
sal, se necessário
água suficiente para dar consistência ao molho

Empanar:
2 claras de ovo
2 xícaras (chá) de farinha de trigo
2 xícaras (chá) de farinha de rosca

Cobertura:
150 g de presunto
150 g de mussarela
Molho

Modo de fazer:
Tempere os filés de merluza com o alho, o suco de limão, o sal e a pimenta, e reserve.

Numa panela, refogue o molho acrescentando o ingredientes na seguinte ordem: óleo, alho, cebola, tomate, molho de tomate, deixando um tempo entre cada adição para o alimento refogar. Acrescente o caldo de legumes e deixe cozinhar, acrescentando a água conforme a necessidade (o molho não deve ficar nem muito espesso e nem muito líquido). Acerte o sal, deixe dar mais uma fervura, desligue e coloque o coentro.

Para empanar, coloque as claras em um prato e bata até começar a espumar. Coloque cada farinha em um prato diferente. Passe cada filé na farinha de trigo; bata delicadamente para sair o excesso. Passe nas claras e depois na farinha de rosca. Arrume em um refratário ou tabuleiro e leve ao forno médio para assar. Não precisa cobrir com papel alumínio. O filé ficará com a mesma aparência de quando é frito - coradinho. Retire do forno, coloque o molho por cima de cada um, distribua o presunto e a mussarela, e volte ao forno para derreter o queijo. Sirva quente, acompanhado de arroz branco e salada verde. Se quiser, sirva-o só à milanesa.

Obs.: este peixe pode ficar ainda mais saudável se utilizar óleo de canola (que tem ômega 3 e 6, além de outros nutrientes), molho de tomate 0% de gordura, caldo de legumes em sachê (0% gordura), mussarela light, presunto 0% carboidrato. Esta receita já é mais saudável pelo fato de ser peixe, de ser empanado somente com a clara do ovo, e de ser assado, ao invés de frito. Outra sugestão é empanar com farinha de trigo integral ou misturar a farinha de trigo com a farinha de aveia. Ainda não testei isto, mas vou fazê-lo.

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Frango assado com sopa creme de queijo

Frango sempre é uma opção muito bem vinda aqui em casa. Agrada a todos. Mas queria experimentar com sopa creme de cebola, pois sempre ouvia falar que ficava muito bom e ainda não tinha experimentado. Bom, planejei fazer um tempero simples: alho, sopa creme de cebola, mostarda amarela e um pouquinho de molho barbecue. Até aqui tudo bem. Mas, na hora de executar o tempero, troquei sopa creme de cebola por sopa creme de queijo e nem dei conta do que havia acontecido. Na hora de assar, o cheirinho de queijo se evidenciou e eu, curiosa, fui ao balde de lixo procurar pela embalagem e constatei a troca. Bom, agora era esperar para ver o que daria. Para nossa surpresa, ficou muito gostoso. Para acompanhá-lo, fiz uma saladinha simples de tomate com pepino e um arroz colorido. Estava um dia mais quente que hoje e foi a combinação perfeita, claro que com um feijãozinho junto.
Então vamos a receita.



Ingredientes:
1 1/2 kg de coxa e sobrecoxa de frango
5 dentes de alho amassados
1/2 pacote de sopa creme de queijo (ou cebola)
2 colheres (sopa) de mostarda amarela
1 colher (sopa) de molho barbecue
Sal se necessário

Modo de fazer
Tempere o frango com todos os ingredientes. Deixe descançar por 30 minutos, no mínimo. Coloque numa assadeira e asse em forno médio até que o frango fique corado. Não é preciso cobrir com papel alumínio. Sirva com arroz, ou batatas, ou uma massa, e com a salada de sua preferência.

Em outro post colocarei a receita do arroz colorido. Ele é bem simples, mas é uma outra opção de servir o arroz.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Parafuso ou gravata? Que tal os dois?

Sabe aqueles dias em que a gente tem fome, mas não tem tempo pra quase nada? Pois é, foi isto que promoveu este macarrão misturado, rápido e saboroso. Tinha um pouco de macarrão gravatinha e um pouco de parafuso; nenhum dos dois era quantidade suficiente para um jantar aqui em casa. Então resolvi misturar os dois. Enquanto eles cozinhavam, pensava no molho. Só tinha ingredientes para um molho de tomate e algumas fatias de presunto e queijo. E foi assim que nasceu (como diz a minha amiga blogueira Priscila) essa receitinha do dia-a-dia, super rápida, prática e saborosa para "matar" a fome.




Ingredientes:
200 gr de macarrão gravatinha
200 gr de macarrão parafuso
água suficiente para o cozimento
sal à gosto
1 fio de óleo (para o cozimento)
2 colheres (sopa) de óleo
2 dentes de alho amassados
1 cebola pequena bem picadinha
2 tomates pequenos bem picadinhos
1 lata de molho de tomate pronto
1 envelope de caldo de frango (ou outro de sua preferência)
cheiro-verde à gosto
queijo e preseunto picados




Modo de fazer:
Cozinhar os macarrões  em água com sal e um fio de óleo até que fique al dente. Escorra e reserve.

Enquanto o macarrão cozinha, coloque o óleo em uma panela e frite o alho, acrescente a cebola, mexa e deixe-a fritar até ficar transparente. Acrescente o tomate e deixe refogar até começar a desmanchar (tudo isto em fogo médio para baixo). Neste ponto, acrescente o molho de tomate, o caldo e mexa para incorporar tudo. Se ficar muito seco, pingar um pouquinho de água para que fique um molho grosso. Deixe ferver, depois coloque o cheiro-verde, mexa e desligue.

Numa travessa, coloque uma camada de macarrão, cubra com o molho, espalhe o queijo e o presunto, coloque o restante do macarrão, o restante do queijo e presunto e o restante do molho. Dê pequenas mexidas com a colher para incorporar o molho à massa, mas sem desmanchar as camadas. Leve ao forno por alguns minutos para derreter o queijo. Sirva quente acompanhado de queijo parmesão e uma salada verde.

domingo, 16 de maio de 2010

Pizza ou pão?

Há muitos dias, acho que alguns meses, estava passeando pelo blog da Iliane quando encontrei esta receita que ela encontrou no Blog da Cris. Não copiei no momento, mas fiquei muito interessada. Passados alguns dias, senti vontade de comer aquela pizza. Fui então ao blog da Cris e copiei a receita abaixo (com o texto dela) e a fiz. Todos aprovaram, principalmente a minha filhotinha querida que adora "pitica", como diz ela. Então vamos lá.



Hot rolls - para pizza
 
Ingredientes:
1 envelope de fermento para pão (ou 1 colher de sopa)
1/2 xícara de água morna
1 colher (sopa) de açúcar
2 xícaras de buttermilk (adicionar 2 colheres de vinagre ao leite - deixar 10 minutos de repouso) ou iogurte
1/2 colher (chá) de bicarbonato
5 colheres (chá) de fermento em pó
1 colher (chá) de sal
1/2 xícara de óleo
5 xícaras de farinha de trigo

Modo de fazer:
1) Dissolva o fermento e o açúcar na água morna. Adicione os ingredientes restantes na ordem indicada (de preferência acrescente 1 xícara de farinha antes de juntar o óleo) e mexa bem. A massa fica macia e não é preciso sovar, apenas incorporar tudo.
2) Coloque a massa em um recipiente untado com óleo, tampe e guarde na geladeira por até 10 dias para usar aos poucos ou imediatamente.

Para montar a pizza: Separe 1/4 da massa ou o suficiente para uma forma e abra em uma superfície com muita farinha, deixe com 1 a 1,5 cm de altura.
Eu abro sobre uma folha de silicone e transfiro para uma forma retangular untada com óleo e fubá.
Polvilhe sobre a massa um pouquinho de flor de sal (sal gourmet ou sal grosso) e alecrim. Cuidado para não salgar muito... Asse em forno aquecido a 230°C por 15 a 20 minutos ou até começar a dourar. A massa fica bem alta. Enquanto a massa está no forno prepare a cobertura de sua preferência.

Opções:
Margherita, a pizza com as cores da Itália...

Rale 3 tomates no ralador de cenoura (a casca fica toda na sua mão), deixe escorrer bem, um escorredor de arroz é ótimo para isso. Junte manjericão e queijo muzzarela ralado (uso queijo muzzarela ralado e congelado, ele deixa o molho bem sequinho). Não precisa de sal.
Quando a pizza dourar, cubra com este recheio e leve ao forno novamente até derreter o queijo.

Pizza de lombinho com catupiry (queijo cremoso):
Rale 3 tomates no ralador de cenoura, escorra, tempere com orégano. Recheie a pizza com o tomate ralado, queijo muzzarela, queijo cremoso e lombinho canadense. Leve ao forno novamente até derreter o queijo.

Obs. Eu tive dúvida quanto ao ponto da massa e então a Cris me esclareceu que se a massa ficar um pouco mole, pode-se acrescentar mais farinha de trigo. Ela disse ainda que costuma fazer com iogurte, pois sua consistência deixa a massa no ponto certo. Depois que ela me explicou isto gentilmente, ainda não fiz a receita de novo, mas estou com os ingredientes esperando por isto.
O meu recheio foi diferente do sugerido por ela. Coloquei um pouco  pomarola, presento e queijo muzzarela em fatias, calabreza, tomate, cebola, azeitona e manjericão fresco.

sábado, 15 de maio de 2010

Carne de porco na panela de pressão


Um dia desses, estava com muita pressa para fazer o almoço, pois meu horário é muito corrido. Não tinha nada adiantado e teria uma pessoa para almoçar além dos da casa. Tinha pensado em fazer a carne de porco cozida lentamente até que ficasse macia e corada, mas não dava tempo para isto. Então me lembrei de uma forma muito, mas muito simples de fazê-la. Enquanto ela cozinhava, preparei as demais comidas. Quando ficou pronta, foi só deliciar. Então vamos a receita.

Ingredientes:
1 kg de carne de porco em pedaços
4 cebolas grandes cortadas em fatias finas (mas não muito fina)
2 envelopes de caldo de carne em pó (ou em cubos, se preferir)
Salsinha picada a gosto.

Modo de fazer:
Descasque as cebolas e corte-as em fatias finas. Espalhe metade no fundo da panela de pressão, arrume a carne por cima, espalhe os caldos por cima, de modo que toda a carne fique com o tempero e, por último, coloque o restante da cebola em fatias. Tampe a panela e leve ao fogo. Quando começar a "chiar", marque 20 minutos. Terminado o tempo, retire a pressão da penela, abra, mexa a carne para que o restante da cebola acabe de desmenchar e vire um molho. Coloque numa travessa, salpique salsinha e sirva acompanhado de mandioca,ou batata, ou arroz, ou o que preferir, e bom apetite.



Obs. esta receita é rápida e prática, podendo ser feita com outras carnes. Eu já fiz com costela de boi e com acém. Penso que também deve ficar muito boa com músculo e até mesmo frango, mas ainda não experimentei com estas. Quando vi a receita pela primeira vez (não me lembro onde) não acreditei que pudesse ficar saborosa, mas fica. Vale a pena experientar. Não precisa colocar nem uma gotinha de água, pois o líquido da carne e da cebola é suficiente. O tempo de preparo varia de uma carne para outra  e a panela de pressão também pode influenciar nisto. A costela levou mais tempo, por isto, o melhor é deixar menos tempo e, se necessário, deixar mais um pouco.

Há um lugar

Domingo passado estava em Londrina na Igreja Missão Apoio, pastoreada pelos Pastores Franklin e Giovana, quando ouvi pela primeira vez essa música e saí daquele culto marcada por sua mensagem. Foi um lindo presente do Dia das Mães ouvir essa música, pois ela me levou a uma profunda reflexão a respeito da minha existência. Se desejar ouvi-la, fique à vontade e deixe a mensagem falar ao seu coração. Deus te abençoe.

domingo, 2 de maio de 2010

Pudim de padaria

Depois de uma longa temporada, estou de volta (rsrs). Contra a minha vontade, tive que ficar uns dias sem postar nada para dar conta de resolver algumas coisas. Mas, como hoje foi um dia muito saboroso, não resisti e voltei para apresentar algumas gostosuras.
O almoço de hoje ficou por conta da Líbia, minha amiga mineira - cozinheira de mão cheia, que preparou uma deliciosa feijoada. Para a sobremesa, fizemos juntas o pudim de padaria que encontramos no encarte  especial "Pudins de liquidificador", da revista Guia da Cozinha do mês de maio de 2010. Vou postar a receita na íntegra e depois faço minhas observações.

Medida da xícara: 240 ml



Ingredientes:
3 xícaras (chá) de leite
5 ovos
1 e 1/2 xícara (chá) de farinha de trigo
2 e 1/2 xícaras (chá) de açúcar
100g de coco ralado
100g de queijo parmesão ralado

Calda:
2 xícaras (chá) de açúcar
1/2 xícara (chá) de água

Modo de fazer:
Para a calda, em uma panela, dissolva o açúcar na água e leve ao fogo baixo, sem mexer, por 15 minutos ou até obter um caramelo. Despeje em uma forma de buraco no meio de 26 cm de diâmetro, virando a forma para cobrir as laterais. Reserve. Bata no liquidificador o leite, os ovos, a farinha peneirada, o açúcar, o coco e o queijo ralado até ficar homogêneo. Despeje na forma caramelada e leve ao forno médio, preaquecido, em banho-maria, por 50 minutos ou até firmar. Retire do forno, deixe esfriar e leve à geladeira por 4 horas. Desenforme e sirva.

Dica: se preferir um sabor mais suave, coloque apenas 50g de queijo parmesão ralado.



Obs.: como eu gosto muito da calda que a Líbia faz, não seguimos a da receita. Ela fez assim: colocou 1 e 1/2 xícara de açúcar na própria forma que o pudim iria assar e levou ao fogo baixo. Quando o açúcar começou a derreter, ela foi mexendo para que todo ele derretesse por igual (ela disse que o ideal é não mexer). Quando o açúcar já estava caramelizado, desligou o fogo e acabou de derreter os grânulos que ainda restavam mexendo com a colher (pois fizemos com açúcar cristal),  e depois espalhou a calda por toda a forma. Outra modificação que fizemos foi diminuir um pouquinho as medidas de farinha de trigo e de açúcar; mas o que realmente precisa ser diminuído é o queijo parmesão, conforme a dica da própria receita. Como não seguimos a dica, reafirmo aqui que ela é importante, pois o gosto de 100g de queijo fica bem forte. O tempo de forno também foi alterado, pois o pudim só ficou pronto após 1h30 de cozimento, mas isto depende de cada forno.

Ah, agora vou apresentar a deliciosa feijoada preparada pela Líbia. Ela começou a prepará-la na 6ª feira para comermos no domingo. Ficou muito, muito, muito saborosa. Abaixo estão as fotos dos pratos e caso haja pedidos da receita, ela poderá nos ceder. Então saboreiem com os olhos.

Para começar, um molho picante feito com o caldo da feijoada, pimenta e mais uns segredinhos.



Os legumes cozidos no caldo da feijoada ficaram surpreendentes. Nunca tinha visto este acompanhamento para feijoada, mas confesso que é muito saboroso e vale a pena incluí-lo no cardápio.



A couve a mineira não poderia faltar: ela é apenas passada no óleo quente com um pouquinho de sal, sem deixar cozinhar.



E agora, a tão esperada feijoada. Só de olhar dá vontade de comer de novo, hummmm.



 E aqui, a composição do prato completo. Irresistível, não?!

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Caçarola mineira (pudim de queijo)


Esta receita, com certeza, está dentre as que mais suscitam as lembranças da minha infância. De família mineira, o queijo sempre foi utilizado na minha casa como acompanhamento para doces (a famosa sobremesa Romeu e Julieta), como recheio de sanduíches (com pão francês, na maioria das vezes), com um cafezinho puro e também no famoso pudim de queijo da minha mãe mineiríssima. De família grande, quando minha mãe resolvia fazer esta sobremesa a cozinha ficava movimentada, pois ela fazia várias receitas (umas três, quatro, cinco....) de uma só vez. Além daqueles que entravam na cozinha pra ver se conseguiam um pedacinho do pudim mesmo que quente, estava eu, observando o passo-a-passo da receita feita pela minha mãe. Confesso que como a tinha presente, nunca me preocupei em copiar a receita ou pedir para ela, simplesmente observava. Anos depois ela se foi e eu fiquei somente com a lembrança desses momentos em que a observava preparar a caçarola. Apesar de lembrar dos passos, não lembrava da lista completa de ingredientes e nem de suas quantidades. Passei anos a fio desejando por este pudim e é claro pela presença da minha mãe, mas não conseguia a receita que mais se aproximasse da que ela fazia. Então, há uns 20 dias, comprei um queijo minas, passei vários dias curando uma parte dele para a receita. Quando estava no ponto, comecei a pesquisar na internet pra ver se achava a que ela fazia e acho que encontrei. Não sei se é a mesma, mas sei que o gosto ficou bem parecido. Assim, esta receita é um MEMORIAL à minha querida mãe que foi a minha preceptora à arte da culinária. Te amo mãe.
Ingredientes:
2 copos (americanos) de leite
4 ovos
200 g de queijo ralado
2 xícaras (chá) de açúcar
4 colheres (sopa) de farinha de trigo
1 colher (sopa) de margarina

Modo de fazer:
Bata todos os ingredientes no liquidificador, coloque em forma com calda caramelizada e asse em banho maria.

Dicas:
1.O queijo pode ser substituído por coco;
2.O leite pode ser substituído por laranja (neste caso, coloque 5 colheres (sopa) de farinha de trigo.



Na minha receita eu fiz as seguintes adaptações: ao invés de copo eu utilizei como medida a xícara de 240 ml. Como já disse, fiz a receita com queijo minas curado. Fiz o caramelo na própria forma em que o pudim iria ser assado; coloquei 1 xícara de açúcar e deixei derreter até ficar da cor de caramelo claro. Para isto, deixei no fogo baixo e mexia a forma  para que todo o açúcar caramelizasse por igual (não é para mexer o açúcar com colher, mas apenas ir virando a forma) A cor ficou linda e o sabor ótimo. Coloquei uma forma com água no forno e esperei esquentar; coloquei a forma do pudim tampada com papel alumínio dentro da forma com água e levei a assar, acrescentado mais água quente quando necessário (a água fria atrapalha o processo de cozimento do pudim, pois destempera a água que já está na forma). Para verificar o ponto, finque uma faca no pudim, se ela sair bem pouco suja, já está no ponto. O meu pudim levou 1:30h para ficar pronto, em forno a 180 graus.

 

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Frango xadrez




Ingredientes:

500 g de peito de frango cortado em cubos médios
2 colheres (sopa) de molho de soja tradicional
3 dentes de alho amassados
sal à gosto
2 colheres (sopa) de farinha de trigo
3 colheres (sopa) de óleo de soja
1 cebola grande cortada em cubos médios
1 pimentão vermelho pequeno cortado em cubos médios
1 pimentão verde pequeno cortado em cubos médios
1 pimentão amarelo pequeno cortado em cubos médios
1 xícara (chá) de cogumelos em conserva cortados ao meio
2 colheres (sopa) de amendoim torrado
½ colher (sopa) de óleo de gergelim torrado
cheiro verde à gosto (opcional)

Molho:
¼ de xícara (chá) de molho de soja tradicional
1 colher (sopa) de maisena
½ xícara (chá) de água



Modo de fazer:
Tempere o frango com as 2 colheres de molho de soja, o alho amassado, sal e misture bem. Acrescente a farinha de trigo polvilhando sobre a carne; vire e polvilhe do outro lado. Reserve.

Em uma panela grande ou panela wok, coloque 1 colher de óleo e frite a cebola, os pimentões e os cogumelos. Reserve. Na mesma panela, coloque as 2 colheres de óleo restantes e frite a carne até dourar, mas sem mexer muito.

Junte a cebola, os pimentões e os cogumelos ao frango e refogue por mais uns 3 minutos. Enquanto isto, misture o molho de soja, a água e a maisena em uma vasilha e misture ao frango. Abaixe o fogo, acerte o sal, tampe a panela e deixe cozinhar, mexendo de vez em quando, até que o molho engrosse. Acrescente o óleo de gergelim e o amendoim, espere mais 1 minuto e retire do fogo.

Junte o cheio verde e sirva quente acompanhado de arroz branco ou macarrão.

Obs.: o uso da farinha no frango é para deixá-lo parecido com frango empanado. Nesta receita não usei o cogumelo, pois não tinha. O cheiro verde não é um ingrediente original do prato, mas como gosto muito, acabei colocando. Outro ingrediente que pode ser utilizado é o gengibre. Numa próxima oportunidade, farei uso dele. A receita de frango xadrez não tem tanto caldo como na minha, mas como gosto do sabor final dele, sempre aumento a quantidade. Pra finalizar minhas observações, não deixem de usar o óleo de gergelim, pois ele dá aquele toque final no sabor que faz toda a diferença. Ah, já ia me esquecendo: me disseram que uma dose de saquê deixa a receita esplêndida. Também vou testar numa próxima oportunidade. Mas esta receita já dá para “comer e se lambuzar”. Então, bom apetite.

sexta-feira, 26 de março de 2010

Bolo de cenoura com calda de chocolate

A cenoura é uma hortaliça muito versátil, podendo ser utilizada em pratos variados. Por ser rica fonte de vitamina A, está entre os principais alimentos que devem ser consumidos regularmente.

Este bolo, apesar de muito simples, agrada a todos que o comem. Eu gosto de colocar bastante cenoura para que a cor fique bem acentuada. A cobertura tem aparência e sabor daquela feita com leite condensado, mas sem tê-lo.



Ingredientes:

Massa
4 cenouras grandes
3 ovos
½ xícara (chá) de óleo
2 colheres (sopa) bem cheias de margarina
2 xícaras (chá) de açúcar
2 xícaras (chá) de farinha de trigo
1 colher (sopa) bem cheia de fermento em pó

Calda
5 colheres (sopa) bem cheias de açúcar
5 colheres (sopa) bem cheias de chocolate ou achocolatado de boa qualidade
2 colheres (sopa) bem cheias de margarina (80% de lipídeos)
150 ml de leite
50 gr de chocolate granulado ou coco ralado

Modo de fazer:

Massa
Retire a casca das cenouras e corte em rodelas grossas. Coloque as cenouras cortadas, os ovos, o óleo e a margarina no copo do liquidificador e bata até que fique homogêneo. Acrescente o açúcar e bata novamente. Transfira a mistura para uma tigela, acrescente a farinha de trigo e bata (à mão ou na batedeira) por uns 3 minutos. Acrescente o fermento em pó e dê mais uma misturada. Leve assar em forma untada e enfarinhada, em forno a 200º, até que fique corado por cima. Retire do forno e cubra com a calda.

Calda
Em uma panela, coloque o açúcar, o chocolate e a margarina e leve ao fogo. Mexa de vez em quando até que fique tudo derretido. Acrescente metade do leite e mexa até que comece a virar uma calda; acrescente o restante do leite e deixe apurar até que fique no ponto de caramelo. Despeje sobre o bolo ainda quente e espalhe chocolate granulado ou coco ralado por cima.

OBS.: eu não gosto de colocar 1 xícara de óleo, como em muitas receitas de bolo de cenoura, pois o gosto fica muito forte; assim, coloco somente 1/2 xícara e acrescento 2 colheres de margarina. Ninguém nem percebe que tem óleo na massa.

terça-feira, 23 de março de 2010

Feijão tropeiro

O feijão tropeiro é uma comida mineira que reuni em um só prato toda a necessidade nutricional para uma refeição: carboidrato (farinha de mandioca), proteína (feijão, carnes e ovos), hortaliças (cebola,  pimentão, couve, cheiro verde e alho), podendo ser complementado com laranja de sobremesa.
Então vamos à receita desse saboroso prato.



Ingredientes:
200 gr de feijão carioquinha
6 colheres (sopa) de óleo
50 gr de bacon picadinho
100 gr de liguiça de porco fina cortada em pedaços pequenos
100 gr de carne de porco (pernil ou lombo) cortada em pedaços pequenos, temperada e cozida
50 gr de torresmo
3 ovos
3 dentes de alho amassados
1 cebola picadinha
1/2 pimentão verde picadinho
1/2 pimentão vermelho picadinho
cheiro verde à gosto picadinho
sal à gosto
2 xícaras (chá) de farinha de mandioca crua

Modo de fazer:
Cozinhe o feijão em água pura até que fique macio, mas inteiro. Escorra e reserve.

Numa panela, coloque 2 colheres de óleo e junte o bacon para fritar. Retire e reserve. Coloque a linguiça e frite no óleo que sobrou. Retire e reserve. Frite a carne de porco já cozida, retire e reserve.

Bata os ovos ligeiramente, coloque uma pitada de sal. Coloque 2 colheres de óleo numa frigideira e frite a omelete dos dois lados. Retire, pique em pedaços pequenos e reserve.

Na panela que fritou as carnes, coloque 2 colheres de óleo, frite o alho, acrescente a cebola e deixe murchar; junte os pimentões e misture. Deixe refogar e depois vá acrescentando as carnes na ordem da fritura: bacon, liguiça fina e a carne. Misture bem para agregar os sabores. Acrescente o feijão, o ovo e o torresmo e misture a cada acréscimo. Acrescente a farinha aos poucos até o ponto de uma farofa molhadinha. Acerte o sal.

Coloque o feijão tropeiro em uma vasilha para servir, salpique cheiro verde, e sirva com couve refogada ou em salada, e arroz branco.

OBS.: a fritura não pode ser em muito óleo, por isto, coloco só 2 colheres e deixo o fogo baixo.
Nesta receita, não coloquei torresmo; fica opcional a quem quiser. Se quiser assar a linguiça e a carne de porco no forno fica melhor ainda. O bacon pode ser frito no microondas sob papel manteiga. Ele fica crocante e sequinho.

sábado, 20 de março de 2010

Frango com quiabo

Frango com quiabo é um dos pratos que me trazem o sabor da infância à boca. Filha de pais mineiros, desde pequena fui exposta à maneira mineira de cozinhar e apreciar os alimentos. E este prato, dentre os vários da cozinha mineira, é um dos que mais faço em casa por agradar tanto a mim, quanto ao  meu marido. Esta receita é fruto de adaptações da receita que via a minha mãe fazer. Mas, uma coisa que me incomodava muito nela era o amrelado do quiabo ao colocar limão ou vinagre para cortar sua baba. Depois que vim morar no Paraná, conheci a Líbia, uma mineira - cozinheira de mão cheia - que me ensinou outra forma de cortar a baba do quiabo: tomates maduros bem picadinhos. O fato é que o ácido do tomate corta a baba do quiabo e não o deixa amarelado. Um dia não tinha o tomate em casa e, então, resolvi colocar um pouquinho de extrato de tomate; não é que deu certo?!; mas ainda prefiro o tomate picadinho.

Ingredientes:
1 1/2 kg de frango em pedaços (coxas, peito ou outras partes de sua preferência)
8 colheres (sopa) de óleo
5 dentes de alho amassados
sal à gosto
1 sachê de caldo de galinha em pó
2 colheres (sopa) de shoyu
2 folhas de louro
pimenta calabrasa à gosto
800 gr de quiabo
1 1/2 cebola picada em cubinhos pequenos
1 tomate grande cortado em cubinhos
cheiro verde à gosto

Modo de fazer:
Tempere o frango com 3 dentes de alho, sal, metade do sachê de caldo de galinha, o shoyu, as folhas de louro e a pimenta. Deixe descançar por 30 minutos a 1 hora. Numa panela grossa, coloque 4 colheres de óleo e frite 1/2 cebola picadinha até que ela fique com a cor de caramelo (quase queimada); acrescente o frango temperado e mexa bem. Tampe a penela e quando a água que soltar do frango tiver secado, vá pingando água quente até que o frango esteja macio. Depois de cozido ele deve ficar bem coradinho por causa da cebola dourada e com um pouco de caldo no fundo da panela.

Enquanto o frango cozinha, lave o quiabo e seque em papel absorvente. Corte em pedaços de uns 2 dedos, desprezando o cabinho e a pontinha. Aqueça uma panela e coloque as 4 colheres restantes de óleo, junte o alho amassado restante, frite-o, coloque o quiabo para refogar e mexa bem. Acrescente o tomate picado,  e mexa de vez em quanto para que o ácido corte a baba do quiabo.  Depois deste processo, acrescente a cebola, mexa e tampe a panela por uns 3 minutos.

Junte o quiabo refogado ao frango, coloque o restante do sachê de caldo de galinha, acerte o sal e mexa. Se for necessário, acrescente mais um pouco de água, tempe a panela e cozinhe o quiabo até que fique macio, mas inteiro. Desligue o fogo, acrescente  o cheiro verde e sirva com arroz branco, polenta (ou angu) e o que mais achar conveniente. É muito bom.

quarta-feira, 17 de março de 2010

Omelete especial

Sábado estava assistindo televisão quando ouvi a chamada do progama Estrelas; um dos assuntos seria a receita de uma omelete feita pela Xuxa. Confesso que fiquei curiosa e assisti ao programa. Para minha grata surpresa, a receita era interessante, mas acabei não a  anotando. No dia seguinte a noite, percebi que não tinha nada pronto para o jantar, então resolvi arriscar e fazer a omelete. Separei os ingredientes repassando mentalmente a receita e o resultado foi o prato abaixo. Ficou muito bom.



Ingredientes:
3 ovos
2 fatias de peito de peru
4 fatias de mussarela
1 tomate pequeno sem sementes
orégano à gosto
1/2 colher (sopa) de manteiga
1/2 xícara de batata palha
ketchup à gosto

Modo de fazer:
Pique em pedaços bem pequenos as fatias de peito de peru, 2 fatias de mussarela, o tomate, acrescente o orégano e misture bem. Reserve.
Bata os ovos e reserve. Leve uma frigideira ao fogo, derreta a manteiga e espalhe por toda a sua superfície. Coloque os ovos e em cima deles ainda crús, arrume as 2 fatias restantes de mussarela para que o recheio fique separado dos ovos. Espalhe o recheio por cima da mussarela e espere até que a parte de baixo dos ovos já esteja frita. Para virar a omelete, coloque um prato virado para baixo sobre a frigideira e vire-a nele (igual quando se vira bolo e pudim); depois volte com ela para a frigideira de maneira que a parte do recheio fique para baixo. Espere alguns minutos até fritar e depois repita o processo de virar a omelete, mas agora no prato em que vai servi-la. Arrume a batata palha no centro da omelete, espalhe um pouco de ketchup por cima e enrole como se fosse uma panqueca. Decore com batata palha e ketcup, e bom apetite.

Obs.: Como a Xuxa não deu a quantidade exata de peito de peru, de mussarela, de manteiga e nem de batata palha, as quantidades descritas na receita determinei ao meu gosto. Além disto, como não tinha tudo que precisava, fiz algumas adaptações: substitui o peito de peru por presunto e a manteiga por margarina com 80% de lipídeos, além de acrescentar uma pitada de sal nos ovos batidos.



terça-feira, 16 de março de 2010

Calda de morango


Um dia desses, estava precisando fazer uma calda de ameixa para acompanhar uma sobremesa e não tinha a ameixa em casa. Lembrei-me de que tinha um pote de morangos orgânicos no freezer e então resolvi tentar fazer a calda, mas de morangos. Queria uma calda um pouco azedinha para contrastar com o doce da sobremesa; então coloquei o suco de limão e ficou do jeito que eu tinha imaginado. O melhor de tudo é que dá pra congelar, caso sobre, podendo ser utilizada em outra ocasião.

Ingredientes:
1 xícara (chá) de açúcar
2 xícaras (chá) de morangos orgânicos inteiros
1/2 xícara (chá) de água
1 limão espremido

Modo de fazer:
Lave muito bem os morangos e retire seus cabinhos. Coloque em uma panela o açúcar e os morangos e leve ao fogo, mexendo de vez em quando para não grudar. Quando o açúcar tiver derretido e começar a virar "puxa", acrecente a água e deixe fever em fogo baixo até que fique em ponto de calda (mas não muito grossa). Acrescente o suco de limão e deixe apurar novamente. Esta calda fica com pedaços de morango, pois eles não foram picados. Ela pode ser usada em pudins, bolos, sorvetes, etc. Use a sua imaginação.

segunda-feira, 15 de março de 2010

Bolo de banana

A banana é um alimento muito consumido no mundo e, por isto, está entre os mais produzidos. É um alimento rico de nutrientes, entre eles, os sais minerais que tem papel importante na nossa nutrição. Gosto muito de banana, de qualquer jeito: in natura, doce, assada, frita, em bolos, em sobremesas, e procuro comer pelo menos uma por dia, que é o suficiente para a nossa necessidade nutricional. Este bolo é muito simples, mas também muito saboroso, sendo excelente para ser servido no café da manhã ou da tarde, como também em lanches.

Ingredientes:
3 ovos inteiros (clara e gema)
1 1/2 xícara (chá) açúcar
2 colheres (sopa) de manteiga ou margarina (80% de lipídeos)
2 xícaras (chá) de farinha de trigo
1 xícara (chá) de leite em temperatura ambiente
1 colher (sopa) de fermento em pó
8 bananas nanicas cortadas em fatias no sentido do comprimento 
3 colheres (sopa) de açúcar
1/2 colher (sopa) de canela em pó

Modo de fazer:
Coloque os ovos na batedeira e bate-os até ficarem amarelo claro. Acrescente o açúcar e continue batendo até formar um creme homogêneo. Coloque a margarina e continue batendo e, em seguida, vá acrescentando aos poucos a farinha de trigo intercalada com o leite. Bata por uns 3 minutos. Desligue a batedeira, acrescente  fermento e dê apenas mais uma batidinha. Coloque a massa numa assadeira quadrada ou redonda (sem furo no meio), untada e enfarinhada. Arrume as fatias de banana por cima da massa, delicadamente; misture o açúcar com a canela e espalhe por cima das bananas. Leve a assar em forno 200º até que fique dourado por cima.

Obs. É importante peneirar a farinha antes de colocá-la na batedeira; acredite, isto faz diferença no resultado final. Outra informação: a banana da qual estou falando tem nomes diferentes nas diferentes regiões do Brasil. Aqui onde moro no Paraná é chamada de "banana nanica", no sul do Paraná dizem que é "banana caturra" e no Rio de Janeiro, minha terra natal, é chamada de "banana d'agua".  Pra resolver o assunto, excluindo a "banana prata", a "banana maçã" e a "banana ouro", essa banana é aquela que costumamos comer com frequência.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails