quinta-feira, 11 de março de 2010

Bolo de fubá com goiabada cascão



Eu estava com umas goiabas bem maduras na geladeira e pensei em aproveitá-las antes que se perdessem de vez. Eram umas cinco. Então resolvi tentar fazer um doce que comia na casa da Patrícia, uma amiga de infância. Não é que deu certo. Com a parte da casca eu fiz a goiabada cascão, e com a polpa eu fiz a geléia de goiaba, que outro dia eu posto a receita. Depois de pronto, comi o doce com creme de leite, mas ainda ficou um pouco dele "rolando" na geladeira. Foi aí que veio a idéia de colocá-lo num bolo de fubá. Foi uma combinação perfeita; não deu pra quem quiz. Então vamos à receita.


Ingredientes:

Massa:
3 ovos inteiros
2 colheres (sopa) bem cheias de margarina (aquela com 80% de lipídeos)
2 xícaras (chá) de açúcar (pode ser cristal ou refinada)
1 xícara (chá) de fubá (aquele moído mais fino)
1 xícara (chá) de farinha de trigo peneirada
1 xícara (chá) de leite
1 colher (sopa) bem cheia de fermento em pó

Recheio:
2 xícaras (chá) de goiaba picada (sem a polpa, mas com a casca)
1 1/2 xícara (chá) de açúcar

Modo de fazer:

Massa:
Numa batedeira, coloque os ovos (clara e gema) e bata até ficar um amarelo clarinho. Acrescente, aos poucos e sem parar de bater, o açúcar e bata até crescer e formar um creme. Continue batendo e adicione a margarina até que ela se incorpore totalmente ao creme. Adicione o fubá e a farinha aos poucos e vá alternado com leite. Se a massa ficar muito pesada, acrescente mais um pouco de leite. A consistência ideal é nem muito mole e nem muito espessa. Coloque o fermento e dê mais uma batidinha rápida e desligue a batedeira. Coloque a massa em uma forma grande com furo central untada com margarinha e enfarinhada, acrescente a goiabada cascão às colheradas dividindo-a por toda a massa. Leve a assar em forno moderado até que doure. Sirva quente ou frio, acompanhado de chá, café, café com leite ou outra bebida de sua preferência.

Recheio:
Coloque a goiaba picada e o açúcar em uma panela e leve ao fogo para cozinhar. Mexa de vez em quando para não grudar no fundo da panela. Para chegar ao ponto do doce, a goiaba deve se dissolver e ficar pequenos pedacinhos, a cor deve ser aquela característica de goiabada, mas a consistência deve ser a de comer com colher, ou seja, cremosa e não de corte. Fica uma delícia e pode ser servida também como sobremesa acompanhada de creme de leite, queijo minas ou requeijão de copo.

4 comentários:

  1. Vou testar todassss...haja caminhada depois rs!
    Estou começando por esta!
    Parabéns pelo blog! Está literalmente uma delícia!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Joyce,
    cozinhar é um momento prazeroso para quem gosta e é tão bom quando as pessoas gostam daquilo que a gente faz.
    Volte sempre, viu?!

    ResponderExcluir
  3. bati a goiabada junto com a massa...ficou muito bom tbm!!

    ResponderExcluir
  4. Queila, boa noite!

    Me mudei para minas a pouco mais de um mês e comi a caçarola em uma padaria, fiquei encantada com o sabor por que tem um gosto diferente do pudim por ter menos doce, amei!!!!!!!!!!!! entrei na internet para procurar a receita e achei todas suas receitas maravilhosas, irei experimentar o brigadeirão e o bolo de cenoura. Tenho certeza que todas as receitas ficarão uma delícia. Beijos, obrigada!!!!!

    ResponderExcluir

Oi, se você gostou desta postagem, mande-me uma mensagem. Será recebida com muito prazer.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails