segunda-feira, 31 de maio de 2010

Frango assado com sopa creme de queijo

Frango sempre é uma opção muito bem vinda aqui em casa. Agrada a todos. Mas queria experimentar com sopa creme de cebola, pois sempre ouvia falar que ficava muito bom e ainda não tinha experimentado. Bom, planejei fazer um tempero simples: alho, sopa creme de cebola, mostarda amarela e um pouquinho de molho barbecue. Até aqui tudo bem. Mas, na hora de executar o tempero, troquei sopa creme de cebola por sopa creme de queijo e nem dei conta do que havia acontecido. Na hora de assar, o cheirinho de queijo se evidenciou e eu, curiosa, fui ao balde de lixo procurar pela embalagem e constatei a troca. Bom, agora era esperar para ver o que daria. Para nossa surpresa, ficou muito gostoso. Para acompanhá-lo, fiz uma saladinha simples de tomate com pepino e um arroz colorido. Estava um dia mais quente que hoje e foi a combinação perfeita, claro que com um feijãozinho junto.
Então vamos a receita.



Ingredientes:
1 1/2 kg de coxa e sobrecoxa de frango
5 dentes de alho amassados
1/2 pacote de sopa creme de queijo (ou cebola)
2 colheres (sopa) de mostarda amarela
1 colher (sopa) de molho barbecue
Sal se necessário

Modo de fazer
Tempere o frango com todos os ingredientes. Deixe descançar por 30 minutos, no mínimo. Coloque numa assadeira e asse em forno médio até que o frango fique corado. Não é preciso cobrir com papel alumínio. Sirva com arroz, ou batatas, ou uma massa, e com a salada de sua preferência.

Em outro post colocarei a receita do arroz colorido. Ele é bem simples, mas é uma outra opção de servir o arroz.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Parafuso ou gravata? Que tal os dois?

Sabe aqueles dias em que a gente tem fome, mas não tem tempo pra quase nada? Pois é, foi isto que promoveu este macarrão misturado, rápido e saboroso. Tinha um pouco de macarrão gravatinha e um pouco de parafuso; nenhum dos dois era quantidade suficiente para um jantar aqui em casa. Então resolvi misturar os dois. Enquanto eles cozinhavam, pensava no molho. Só tinha ingredientes para um molho de tomate e algumas fatias de presunto e queijo. E foi assim que nasceu (como diz a minha amiga blogueira Priscila) essa receitinha do dia-a-dia, super rápida, prática e saborosa para "matar" a fome.




Ingredientes:
200 gr de macarrão gravatinha
200 gr de macarrão parafuso
água suficiente para o cozimento
sal à gosto
1 fio de óleo (para o cozimento)
2 colheres (sopa) de óleo
2 dentes de alho amassados
1 cebola pequena bem picadinha
2 tomates pequenos bem picadinhos
1 lata de molho de tomate pronto
1 envelope de caldo de frango (ou outro de sua preferência)
cheiro-verde à gosto
queijo e preseunto picados




Modo de fazer:
Cozinhar os macarrões  em água com sal e um fio de óleo até que fique al dente. Escorra e reserve.

Enquanto o macarrão cozinha, coloque o óleo em uma panela e frite o alho, acrescente a cebola, mexa e deixe-a fritar até ficar transparente. Acrescente o tomate e deixe refogar até começar a desmanchar (tudo isto em fogo médio para baixo). Neste ponto, acrescente o molho de tomate, o caldo e mexa para incorporar tudo. Se ficar muito seco, pingar um pouquinho de água para que fique um molho grosso. Deixe ferver, depois coloque o cheiro-verde, mexa e desligue.

Numa travessa, coloque uma camada de macarrão, cubra com o molho, espalhe o queijo e o presunto, coloque o restante do macarrão, o restante do queijo e presunto e o restante do molho. Dê pequenas mexidas com a colher para incorporar o molho à massa, mas sem desmanchar as camadas. Leve ao forno por alguns minutos para derreter o queijo. Sirva quente acompanhado de queijo parmesão e uma salada verde.

domingo, 16 de maio de 2010

Pizza ou pão?

Há muitos dias, acho que alguns meses, estava passeando pelo blog da Iliane quando encontrei esta receita que ela encontrou no Blog da Cris. Não copiei no momento, mas fiquei muito interessada. Passados alguns dias, senti vontade de comer aquela pizza. Fui então ao blog da Cris e copiei a receita abaixo (com o texto dela) e a fiz. Todos aprovaram, principalmente a minha filhotinha querida que adora "pitica", como diz ela. Então vamos lá.



Hot rolls - para pizza
 
Ingredientes:
1 envelope de fermento para pão (ou 1 colher de sopa)
1/2 xícara de água morna
1 colher (sopa) de açúcar
2 xícaras de buttermilk (adicionar 2 colheres de vinagre ao leite - deixar 10 minutos de repouso) ou iogurte
1/2 colher (chá) de bicarbonato
5 colheres (chá) de fermento em pó
1 colher (chá) de sal
1/2 xícara de óleo
5 xícaras de farinha de trigo

Modo de fazer:
1) Dissolva o fermento e o açúcar na água morna. Adicione os ingredientes restantes na ordem indicada (de preferência acrescente 1 xícara de farinha antes de juntar o óleo) e mexa bem. A massa fica macia e não é preciso sovar, apenas incorporar tudo.
2) Coloque a massa em um recipiente untado com óleo, tampe e guarde na geladeira por até 10 dias para usar aos poucos ou imediatamente.

Para montar a pizza: Separe 1/4 da massa ou o suficiente para uma forma e abra em uma superfície com muita farinha, deixe com 1 a 1,5 cm de altura.
Eu abro sobre uma folha de silicone e transfiro para uma forma retangular untada com óleo e fubá.
Polvilhe sobre a massa um pouquinho de flor de sal (sal gourmet ou sal grosso) e alecrim. Cuidado para não salgar muito... Asse em forno aquecido a 230°C por 15 a 20 minutos ou até começar a dourar. A massa fica bem alta. Enquanto a massa está no forno prepare a cobertura de sua preferência.

Opções:
Margherita, a pizza com as cores da Itália...

Rale 3 tomates no ralador de cenoura (a casca fica toda na sua mão), deixe escorrer bem, um escorredor de arroz é ótimo para isso. Junte manjericão e queijo muzzarela ralado (uso queijo muzzarela ralado e congelado, ele deixa o molho bem sequinho). Não precisa de sal.
Quando a pizza dourar, cubra com este recheio e leve ao forno novamente até derreter o queijo.

Pizza de lombinho com catupiry (queijo cremoso):
Rale 3 tomates no ralador de cenoura, escorra, tempere com orégano. Recheie a pizza com o tomate ralado, queijo muzzarela, queijo cremoso e lombinho canadense. Leve ao forno novamente até derreter o queijo.

Obs. Eu tive dúvida quanto ao ponto da massa e então a Cris me esclareceu que se a massa ficar um pouco mole, pode-se acrescentar mais farinha de trigo. Ela disse ainda que costuma fazer com iogurte, pois sua consistência deixa a massa no ponto certo. Depois que ela me explicou isto gentilmente, ainda não fiz a receita de novo, mas estou com os ingredientes esperando por isto.
O meu recheio foi diferente do sugerido por ela. Coloquei um pouco  pomarola, presento e queijo muzzarela em fatias, calabreza, tomate, cebola, azeitona e manjericão fresco.

sábado, 15 de maio de 2010

Carne de porco na panela de pressão


Um dia desses, estava com muita pressa para fazer o almoço, pois meu horário é muito corrido. Não tinha nada adiantado e teria uma pessoa para almoçar além dos da casa. Tinha pensado em fazer a carne de porco cozida lentamente até que ficasse macia e corada, mas não dava tempo para isto. Então me lembrei de uma forma muito, mas muito simples de fazê-la. Enquanto ela cozinhava, preparei as demais comidas. Quando ficou pronta, foi só deliciar. Então vamos a receita.

Ingredientes:
1 kg de carne de porco em pedaços
4 cebolas grandes cortadas em fatias finas (mas não muito fina)
2 envelopes de caldo de carne em pó (ou em cubos, se preferir)
Salsinha picada a gosto.

Modo de fazer:
Descasque as cebolas e corte-as em fatias finas. Espalhe metade no fundo da panela de pressão, arrume a carne por cima, espalhe os caldos por cima, de modo que toda a carne fique com o tempero e, por último, coloque o restante da cebola em fatias. Tampe a panela e leve ao fogo. Quando começar a "chiar", marque 20 minutos. Terminado o tempo, retire a pressão da penela, abra, mexa a carne para que o restante da cebola acabe de desmenchar e vire um molho. Coloque numa travessa, salpique salsinha e sirva acompanhado de mandioca,ou batata, ou arroz, ou o que preferir, e bom apetite.



Obs. esta receita é rápida e prática, podendo ser feita com outras carnes. Eu já fiz com costela de boi e com acém. Penso que também deve ficar muito boa com músculo e até mesmo frango, mas ainda não experimentei com estas. Quando vi a receita pela primeira vez (não me lembro onde) não acreditei que pudesse ficar saborosa, mas fica. Vale a pena experientar. Não precisa colocar nem uma gotinha de água, pois o líquido da carne e da cebola é suficiente. O tempo de preparo varia de uma carne para outra  e a panela de pressão também pode influenciar nisto. A costela levou mais tempo, por isto, o melhor é deixar menos tempo e, se necessário, deixar mais um pouco.

Há um lugar

Domingo passado estava em Londrina na Igreja Missão Apoio, pastoreada pelos Pastores Franklin e Giovana, quando ouvi pela primeira vez essa música e saí daquele culto marcada por sua mensagem. Foi um lindo presente do Dia das Mães ouvir essa música, pois ela me levou a uma profunda reflexão a respeito da minha existência. Se desejar ouvi-la, fique à vontade e deixe a mensagem falar ao seu coração. Deus te abençoe.

domingo, 2 de maio de 2010

Pudim de padaria

Depois de uma longa temporada, estou de volta (rsrs). Contra a minha vontade, tive que ficar uns dias sem postar nada para dar conta de resolver algumas coisas. Mas, como hoje foi um dia muito saboroso, não resisti e voltei para apresentar algumas gostosuras.
O almoço de hoje ficou por conta da Líbia, minha amiga mineira - cozinheira de mão cheia, que preparou uma deliciosa feijoada. Para a sobremesa, fizemos juntas o pudim de padaria que encontramos no encarte  especial "Pudins de liquidificador", da revista Guia da Cozinha do mês de maio de 2010. Vou postar a receita na íntegra e depois faço minhas observações.

Medida da xícara: 240 ml



Ingredientes:
3 xícaras (chá) de leite
5 ovos
1 e 1/2 xícara (chá) de farinha de trigo
2 e 1/2 xícaras (chá) de açúcar
100g de coco ralado
100g de queijo parmesão ralado

Calda:
2 xícaras (chá) de açúcar
1/2 xícara (chá) de água

Modo de fazer:
Para a calda, em uma panela, dissolva o açúcar na água e leve ao fogo baixo, sem mexer, por 15 minutos ou até obter um caramelo. Despeje em uma forma de buraco no meio de 26 cm de diâmetro, virando a forma para cobrir as laterais. Reserve. Bata no liquidificador o leite, os ovos, a farinha peneirada, o açúcar, o coco e o queijo ralado até ficar homogêneo. Despeje na forma caramelada e leve ao forno médio, preaquecido, em banho-maria, por 50 minutos ou até firmar. Retire do forno, deixe esfriar e leve à geladeira por 4 horas. Desenforme e sirva.

Dica: se preferir um sabor mais suave, coloque apenas 50g de queijo parmesão ralado.



Obs.: como eu gosto muito da calda que a Líbia faz, não seguimos a da receita. Ela fez assim: colocou 1 e 1/2 xícara de açúcar na própria forma que o pudim iria assar e levou ao fogo baixo. Quando o açúcar começou a derreter, ela foi mexendo para que todo ele derretesse por igual (ela disse que o ideal é não mexer). Quando o açúcar já estava caramelizado, desligou o fogo e acabou de derreter os grânulos que ainda restavam mexendo com a colher (pois fizemos com açúcar cristal),  e depois espalhou a calda por toda a forma. Outra modificação que fizemos foi diminuir um pouquinho as medidas de farinha de trigo e de açúcar; mas o que realmente precisa ser diminuído é o queijo parmesão, conforme a dica da própria receita. Como não seguimos a dica, reafirmo aqui que ela é importante, pois o gosto de 100g de queijo fica bem forte. O tempo de forno também foi alterado, pois o pudim só ficou pronto após 1h30 de cozimento, mas isto depende de cada forno.

Ah, agora vou apresentar a deliciosa feijoada preparada pela Líbia. Ela começou a prepará-la na 6ª feira para comermos no domingo. Ficou muito, muito, muito saborosa. Abaixo estão as fotos dos pratos e caso haja pedidos da receita, ela poderá nos ceder. Então saboreiem com os olhos.

Para começar, um molho picante feito com o caldo da feijoada, pimenta e mais uns segredinhos.



Os legumes cozidos no caldo da feijoada ficaram surpreendentes. Nunca tinha visto este acompanhamento para feijoada, mas confesso que é muito saboroso e vale a pena incluí-lo no cardápio.



A couve a mineira não poderia faltar: ela é apenas passada no óleo quente com um pouquinho de sal, sem deixar cozinhar.



E agora, a tão esperada feijoada. Só de olhar dá vontade de comer de novo, hummmm.



 E aqui, a composição do prato completo. Irresistível, não?!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails