domingo, 27 de fevereiro de 2011

Rocambole de arroz

Quem gosta de cozinhar sabe que sempre aparecem umas sobras que não queremos mais comê-las da forma como está preparada. Mas, jogar fora, só em último caso, ou seja, se estiver estragada. Nessas horas, a receita de hoje cai como uma luva à nossa necessidade de repaginar o alimento pronto. E que repaginada. Difícil relacionar com o arroz cozido só de ver o prato pronto. Alguns não conseguem relacioná-lo nem depois de degustar. E aí é que fica surpreendente. 

Eu preparei este rocambole num dia em que recebi umas visitas queridas e foi aprovado por todos. Além de rocambole, dá também para fazer torta salgada de arroz e pizza de arroz, utilizando aquela sobra que não queremos esquentar.

A versatilidade desta receita é grande, pois os recheios podem variar gerando uma grande combinação de ingredientes para agradar o paladar de quem o faz e o degusta. Os recheios devem ser sempre cremosos, nem líquidos - para não interferir na textura da massa, nem secos - para seja mais agradável à mastigação.

Eu já tinha feito a torta com recheio de frango e a pizza de mussarela, presunto, calabrasa, tomate, azeitona, cebola, milho, e ambos ficaram deliciosos. Resolvi fazer o rocambole porque recebi a receita da massa do culinarista Juarez que a enviou num comentário do blog. Obrigada Juarez, realmente a receita é deliciosa, podendo ser servida como lanche da tarde, bem como um almoço ou jantar, acompanhada de uma saladinha básica que não pode faltar.




Para esta receita você vai precisar de:

Massa:
1 xíx. (chá) de arroz cozido (sobra)
1 xíc. (chá) de óleo (soja, canola, milho, ...)
1 xíc. (chá) de leite
2 ovos
1 colher (sopa) de farinha de trigo
2 colheres (sopa) de queijo ralado
1 colher (sopa) de fermento em pó
sal, se necessário
margarina e farinha de rosca para untar e enfarinhar a forma

Recheio:
1 peito de frango médio sem pele e picado
2 xíc (chá) de água
1 sachê de caldo de galinha em pó
2 colheres (sopa) de óleo de soja (ou outro de sua preferência)
4 dentes de alho amassados ou picados
1 cebola média bem picadinha
2 tomates pequenos picados (com semente e pele)
1/2 sachê de molho de tomate pronto
1/2 xíc. (chá) de azeitonas picadas
salsinha e cebolinha à gosto
sal à gosto
1 copo pequeno de requeijão

Cobertura:
1/2 xíc. (chá) de maionese
1/2 xíc. (chá) de gergelim

Como fazer:

Para a massa, bata todos os ingredientes no liquidificador, coloque na assadeira untada e enfarinhada com margarina e farinha de rosca, e asse em forno médio (180º a 200º), preaquecido, até que doure por cima. Retire do forno, deixe esfriar um pouco. Desenforme ainda morno em cima de um pano de prato úmido (não molhado - só borrifar um porquinho de água), enrolar já no formato de rocambole e reservar enquanto finaliza o recheio.

Para o recheio, cozinhe o frango com a água e o caldo de galinha até ficar macio. Deixe esfriar um pouco e depois desfie-o. Numa panela, coloque o óleo e frite o alho e a cebola até murcharem, acrescente o tomate, refogue um pouco; coloque o molho de tomate e deixe cozinhar. Acrescente a azeitona, verifique o sal e, se necessário, acrescente a seu gosto. Deixe o molho ficar bem espesso. Desligue o fogo, acrescente o cheiro verde e deixe esfriar para rechear o rocambole.

Montagem:

Abra a massa que está enrolada no pano e espalhe o recheio em toda a superfície, deixando o espaço de dois dedos sem recheio, pois é onde vai fechar o rocambole. Por cima do recheio espalhe o requeijão e, com bastante cuidado, enrole o rocambole. Coloque numa travessa onde irá servir, espalhe a maionese em toda a superfície, salpique o gergelim, enfeite como desejar e sirvar como lanche ou refeição.


Minhas observações: o Juarez me mandou duas sugestões de recheios: frango desfiado como molho branco e requeijão - para dar cremosidade ao recheio; queijo e presunto ralados com maionese - para dar cremosidade. Na primeira vez que fiz esta massa coloquei  a segunda opção de recheio, mas  achei que ficou muito salgado. Assim, na segunda vez, optei por um molho básico de frango acompanhado pelo requeijão, que deve ser mais consistente para não escorrer. Numa próxima oportunidade vou colocar molho branco para testar. De uma forma ou de outra, a massa é deliciosa e pode ser combinada com o que você mais desejar. 

Outra coisa: achei que 1 xíc. de óleo era muito e coloquei só metade. Ficou bom. A maionese e o gergelim por cima foi minha invenção. Como ao colocar na mesa ela se encheu de gente à volta para se servirem, não deu para tirar uma foto do rocambole partido para visualizar por dentro. Na próxima tiro, fico devendo esta.



LinkWithin

Related Posts with Thumbnails