domingo, 17 de novembro de 2013

Cookies com confeitos de chocolate

Hoje estou iniciando a seção "Tem criança na cozinha" onde postarei as receitas preparadas por mim e minha filha. Já tem um tempinho que ela tem demonstrado interesse por culinária e, aos poucos, vou introduzindo-a nesse mundo fascinante, cheio de sabores, cores e aromas. Para a inauguração, nada melhor que um delicioso biscoitinho crocante e cheio de sabor que vem lá da cozinha do blog Manga com pimenta e está super aprovado. Nessa empreitada de hoje, eu pesei e adicionei os ingredientes enquanto minha filha os misturou com muita delicadeza até formar a massa.  Então vamos lá.


Ingredientes:

70g de açúcar
200g de farinha de trigo
1 colher (chá) de fermento em pó
100g de manteiga sem sal
1 ovo
1/2 colher (chá) de essência de baunilha
1 pitada de sal 
1 pacote de confeitos coloridos de chocolate 

Modo de fazer:
Numa tigela, peneire o açúcar com a farinha, o fermento e uma pitada de sal. Acrescente a manteiga em pedaços e incorpore-a com a ponta dos dedos até formar uma farofa grossa. Acrescente o ovo e a baunilha e misture apenas até formar uma massa. Embrulhe em filme plástico e leve para descansar na geladeira por no mínimo 40 minutos e no máximo 24 horas. Depois faça pequenas bolinhas com a massa dê uma leve amassada com o dedo e  coloque os confeitos apertando-os na cookie.
Pré aqueça o forno a 190º C, forre uma forma com papel manteiga, coloque os biscoitos separados uns do outros para não grudar e leve para assar de 15 a 20 minutos ou quando o fundo dos biscoitos ficarem dourados. Tire do forno, espere esfriar, e retire os biscoitos do papel manteiga. Sirva da maneira que mais lhe agradar. A mim me agrada com um copo de leite gelado, já minha filha gosta de comê-los sem acompanhamento.
Obs.não sei se foi a mãozinha quente da minha filha, mas tive que deixar a massa na geladeira por umas 2 horas para firmar mais e ser possível bolear os biscoitos. Eu fiz metade da receita com os confeitos e metade sem.

Dobradinha num dia chuvoso

Apesar de estarmos em pleno mês de novembro, aqui onde moro o calor forte cedeu diante de uma frente fria. A temperatura está bem fresquinha e o dia com aquela chuvinha preguiçosa - clima propício para esse prato. A receita está aqui para quem aprecia o prato.Bom demais acompanhado com um arroz branco, uma couve finamente picada e refogada com bastante alho e uma pimentinha para ressaltar o sabor. Bom Apetite!


Obs.: faltou cheiro verde, mas estava uma delícia.

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Dica: desfiar frango

Frango desfiado é muito versátil, pois pode ser usado numa infinidade de receitas. É um ingrediente que agrada a maioria das pessoas e confere um sabor e textura especial ao prato. Até aqui tudo bem. O problema começa quando tem que colocar  "a mão na massa", ou melhor, na carne; chega a doer a mão se a quantidade for grande. Pra facilitar esse trabalho trago uma dica que muitas pessoas já conhecem, mas que possivelmente outras não saibam, como eu não sabia. Tá bom, já tem um tempinho que conheço essa dica, mas só agora deu certo postar.
 
 
 
Bom, como a foto mostra (diga-se de passagem, não esta muito boa, mas dá para entender o processo), basta colocar os pedaços de peito de frango cozidos na tigela da batedeira e bater como se fosse bolo. Se quiser um desfiado mais grosso, bata menos, e se quiser mais fino, bata mais. Já fiz também no liquidificador, mas demora mais e tem que ser em pequenas porções, pois a carne embola na lâmina, precisando ser mexida durante o processo. Para quem não tem a batedeira, vale a pena fazer no liquidificador, pois mesmo dando um pouco mais de trabalho, ainda assim é mais rápido que fazer à mão.

domingo, 14 de julho de 2013

Frango com grão de bico

Quando o feijão começa a ser rejeitado nos  momentos de refeição, é preciso substitui-lo por outra leguminosa para manter a proteína de origem vegetal na alimentação, além de outros nutrientes importantes como vitaminas, ferro e cálcio que elas possuem. Devido a sua importância na alimentação diária, não dá para simplesmente suspender o consumo por alguns dias até que a vontade volte. Assim, procuro compor as opções de proteína vegetal com os seguintes produtos: feijão preto, feijão carioca, feijão vermelho, feijão branco, lentilha, grão de bico e soja. Para facilitar o preparo em meio a uma rotina com múltiplas tarefas, cada vez que cozinho uma leguminosa, meço umas 4 porções para deixar 3 congeladas (sem tempero); desta forma, sempre tenho umas 3 opções de leguminosas diferentes para variar o cardápio.



Esta receita de hoje é uma opção para usar uma leguminosa de uma forma diferente do tradicional feijão. Ela é simples, rápida e muito nutritiva. Anote o que vai precisar:

Ingredientes:

1 kg de sobrecoxas de frango sem pele
3 dentes de alho grandes amassados
1 colher (sopa) de shoyo
1 colher (sopa) de molho inglês
1 colher (chá) de sal de ervas
1 cebola média picada
2 tomates picados
200 gr de grão de bico cozido
2 folhas de louro
3 colheres (sopa) de óleo
sal à gosto
cheiro verde à gosto

Modo de fazer:

Limpe as sobrecoxas e tempere com o alho, o shoyo, o molho inglês e o sal de ervas. Deixe marinando para a carne entranhar o tempero.
 
Lave o grão de bico, coloque em uma panela de pressão, cubra com água até 1 dedo acima do grão. Acrescente uma colher (chá) de sal e as folhas de louro. Tampe a panela e deixe cozinhar por uns 30 minutos após a panela começar a chiar. Depois deste tempo, desligue-a e deixe que a pressão saia naturalmente.
 
Enquanto a carne descansa no tempero e o grão de bico cozinha, pique a cebola e os tomates em cubinhos pequenos, mas não os misture, pois vão entrar no preparo em momentos diferentes. Pique o cheiro verde e reserve.
 
Em uma panela grossa, coloque 2 colheres de óleo, deixe esquentar e acrescente o frango temperado. Deixe dourar totalmente de um lado para depois dourar do outro. Quando o frango estiver todo selado (dourado de todos os lados), acrescente 100 ml de água, tampe a panela, regule o fogo para médio e deixe cozinhar até que a água seque. Vire todos os pedaços do frango e acrescente mais 100 ml de água, tampe e deixe cozinhar. Faça esse processo até que o frango esteja cozido. O resultado deverá ser um frango cozido, mas com aparência de frango frito. Retire a carne da panela e reserve. Na mesma panela, coloque 1 colher de óleo, acrescente a cebola e deixe refogar até que fique transparente, mas não deixe queimar. Acrescente então os tomates picados, refogue e acrescente uns 100 ml de água. Deixe cozinhar até que se transforme em um molho. Nesse momento, acrescente o grão de bico (sem a água do cozimento), e deixe incorporar o sabor por uns 3 minutos. Volte o frango para a panela e deixe cozinhar mais alguns minutos para agregar todos os sabores. Acerte o sal, se necessário. Retire do fogo, acrescente o cheiro verde e sirva acompanhado de um belo arroz branco soltinho e de uma saladinha para completar as necessidades nutricionais.
 
 Bom apetite!
 

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Dica: sal de ervas

Hoje estou iniciando uma seção de "Dicas" aqui com o intuito de compartilhar coisinhas simples, mas que facilitam ou até incrementam o momento da culinária em nossas cozinhas. A primeira dica será o sal de ervas do qual ouvi falar pela primeira vez no Globo Repórter (mas não me lembro a data). Minha motivação em faze-lo foi o combate à hipertensão, pois as ervas dão sabor ao alimento, mas com uma quantidade mínima de sal. No início utilizei em tudo que fazia, mas aí o marido reclamou que todas as comidas tinham o mesmo gosto. Então passei a utilizar em alguns pratos e em outros não para diferenciar o sabor. A minha preferência de uso é nas carnes brancas (frango e peixe), na carne de porco e nas massas. Não fico mais sem meu sal de ervas e estou pensando até em fazer outros, modificando um pouco, trocando as ervas, mas sem abandonar o meu tradicional que aprendi na reportagem. A receita é simples e rápida de preparar. A medida é de 4 porções iguais de cada ingrediente, e como não gosto de guarda-lo por muito tempo para não perder o sabor, utilizo uma medida pequena.
 

 
Ingredientes:
 
1 xícara (café) de sal refinado (eu uso o marinho)
1 xícara (café) de alecrim desidratado
1 xícara (café) de manjericão desidratado
1 xícara (café) de orégano desidratado
 
Modo de fazer:
 
Coloque todos os ingredientes no liquidificador ou processador e bata até que as ervas fiquem mais finas. Guarde em um pote de vidro esterilizado.
 

sábado, 29 de junho de 2013

Caldo de fubá com ovo e queijo mussarela

 
 
Gostinho de infância e saudade de mãe. Isto resume o que esta receitinha de família, que comi muito na minha infância, representa para mim. Dia desses, sentindo o frio que se aproxima, resolvi trazer para o paladar a memória psicológica. Na receita da minha mãe, o ovo era mexido dentro do caldo e se misturava a ele. Na minha adaptação, resolvi colocá-lo inteiro e acrecentei ainda o queijo. Ficou delicinha. Se gostar de caldo e se gostar de fubá, creio que não vai se arrepender.
 
Pra essa receita não tenho medida; faço no olhômetro. Mas vou tentar aproximar um pouco. Na hora de fazer, vá observando o que precisa mais ou menos, conforme seu gosto. As quantidades que vou passar é para 2 porções. Então vamos lá.
 
Ingredientes:
 
2 colheres (sopa) de óleo
2 dentes de alho amassados
1/2 xíc. (chá) de fubá
1 1/2 xíc. (chá) de água fria
2 ovos
queijo mussarela à gosto
sal à gosto
cheiro verde à gosto
 
Modo de fazer:
 
Numa panela, coloque o óleo e frite o alho, mas não deixe ficar dourado. Acrescente o fubá e mexa até que ele fique levemente torrado. Deslique o fogo e deixe esfriar um pouco. Acrescente a água, tempere com o sal à gosto e volte ao fogo, mexendo sem parar até que engrosse. Tampe a panela, abaixe o fogo e deixe cozinhar por uns 20 minutos, mais ou menos, mexendo de vez em quando. Se achar que precisa cozinhar mais, adeque o tempo, pois o fubá mais grosso leva mais tempo. Se achar que está ficando mais grosso do que deseja, acrescente um pouquinho mais de água, pois tem fubá que é mais seco e absorve mais água.
 
O ovo pode ser preparado de 3 maneiras: frito no óleo ou na margarina (com pouca margarina, claro), frito sem óleo (aprendi aqui) ou cozido no próprio caldo de fubá. Se escolher este último, coloque os ovos bem no centro do caldo nos últimos minutos de preparação. Tampe a panela e deixe cozinhar o suficiente para que a gema fique a seu gosto, mole ou dura. Eu prefiro mole e deixei uns 3 minutos. Desligue o fogo, transfira para o prato no qual irá servir, acrescente o cheiro verde e a mussarela. Sirva em seguida.
 
 
Obs.: se o alho fritar demais ou o fubá torrar demais, o gosto do caldo ficará um pouco amargo. Outra coisa, a minha maneira de verificar se o fubá está cozido é pelo cheiro, ou seja, se está com cheiro de cru deixo cozinhar mais. Mas cada um tem a sua forma. Quanto a foto, nela não apareceu meu ovo que ficou mergulhado no caldo; mas se procurar bem debaixo da mussarela ele está lá.

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Sopa de ervilha

 
 
Início de inverno, frio forte chegando e nada melhor que comida quente: caldos e sopas vão muito bem. Essa sopinha além de muito gostosa é também simples de fazer. Vamos lá.
 
Ingredientes:
 
250g de ervilha partida
500 ml de água quente
1 colher (sopa) de óleo
2 dentes de alho amassados
1 cebola pequena
200 gr de bacon em cubos
1 linguiça calabresa em cubos
sal à gosto
mussarela ralada à gosto
cheiro verde à gosto
 
Modo de fazer:
 
Numa panela de pressão, coloque o bacon para fritar. Não coloque óleo e deixe que frite na própria gordura que vai soltando. Quando tiver soltado bastante gordura, acrescente a calabresa e deixe fritar até que fique corada, mas ainda macia.Retire o bacon e a calabresa já fritos e reserve. Retire a gordura do bacon da panela e descarte-a.
 
Na mesma panela, coloque o óleo, refogue o alho e a cebola até dourarem. Acrescente a ervilha previamente lavada, misture e deixe refogar por uns 2 minutos,  coloque a água quente, acerte o sal deixando pra menos por causa do bacon e da calabresa que serão acrescentados depois. Tampe a panela e deixe cozinhar por 20 minutos após iniciar a pressão. Após esse tempo, desligue o fogo e deixe a pressão sair  sozinha. Acrescente o bacon e a calabresa reservados, deixe dar uma esquentadinha e sirva em seguida, acompanhada de mussarela ralada e cheiro verde.

Obs.: se quiser pode bater no liquidificador ou mexer bem para acabar de desfazer os pedaços de ervilha que ainda sobrarem. Pode também colocar outras carne como costelinha de porco.
 

sábado, 22 de junho de 2013

Bolo de fubá sem glúten e sem lactose

Faz 50 dias que iniciei uma reeducação alimentar para perder peso e equilibrar alguns elementos no meu organismo. Duas das restrições iniciais pelas quais passei foram a retirada total do leite e seus derivados e a restrição quase total do glúten (permitido somente no café da manhã com o pão integral light). Daí surgiu a necessidade de substituições para variar o café da manhã, então adaptei a receita do Bolo de Fubá 1  X 1, retirando o leite e o glúten da sua composição. A receita ficou assim:
 
 Bolo de fubá com fécula de batata

Ingredientes:
2 ovos inteiros
2 colheres (sopa) de margarina (80% de lipídeos)
1 vidro de leite de coco (200ml)
1 xíc. (chá) de açúcar cristal
1 xíc. (chá) de fubá
1 xíc. (chá) de fécula de batata ou farinha de arroz
50 g de coco ralado
1 pitada de sal
1 colher (sopa) de fermento em pó
Modo de fazer:
Ligue o forno para preaquecer. Unte e enfarinhe a forma na qual será assado o bolo. Reserve.
No liquidificador, coloque os 4 primeiros ingredientes e bata até ficar homogêneo. Acrescente o fubá e a fécula de batata ou a farinha de arroz e bata novamente. Acrescente o coco ralado e o  fermento e dê mais uma batida rápida. Despeje a massa na forma e leve a assar em forno 180º até que fique corado por cima. Sirva com chá, café, café com leite ou com a bebida de sua preferência.
Bolo de fubá com farinha de arroz
 
Obs.: A fécula de batata deixa o bolo muito leve e fofo, já a farinha de arroz deixa a massa um pouco mais densa. Mas as duas se apresentam como um substituto para a farinha de trigo que contém glúten. Já o leite de coco, além de deixar o bolo saboroso, é um excelente substituto para o leite de vaca que contém a lactose.
 

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Chocolate quente

 
 
Dias frios, comida quente. É assim que funciona no inverno. Necessitamos de mais energia para manter as funções do organismo e a temperatura corporal, e o estômago pede algo quente. Chocolate quente foi o pedido da minha filha que eu não pude negar. Conforto e sabor residem nesta caneca.
 
Ingredientes:
 
2 x. de leite
1 colher (sopa) rasa de amido de milho
100 ml de leite condensado
100 ml de creme de leite
2 colheres (sopa) de achocolatado
1colher (sopa) de chocolate em pó
 
Modo de fazer:
 
Dissolva o amido em 1/2 x de leite e reserve. Coloque o leite restante numa panela, o achocolatado, o chocolate, o leite condensado e mexa até dissolver. Leve ao fogo e deixe esquentar até quase ferver. Acrescente o amido dissolvido aos poucos, mexendo sem parar até que o leite fique um pouco espesso, mas ainda ralo. Incorpore aos poucos o creme de leite e continue mexendo. Deixe no fogo mais uns 2 minutos. Desligue e sirva imediatamente.
 
Obs.: se quiser um sabor mais intenso, use as 3 colheres só de chocolate em pó. Se preferir mais doce, acrescente mais leite condensado. Para quem gosta de capuccino ainda dá para acrescentar uma colher (café) de café solúvel no preparo. e uma pitada de canela.

sábado, 15 de junho de 2013

Sardinha ao molho na pressão

Oi pessoal.

Estou há uma "eternidade" sem postar nada. Um pouco desanimada, pois minha máquina fotográfica pifou de vez. Mas, diante das visitas frequentes e dos comentários chegando mesmo estando sem postagem nova há muito tempo, resolvi voltar a ativa com fotos tiradas de celular mesmo. Para reiniciar minhas postagens, apresento uma receita que fiz hoje para o almoço. Onde moro está esfriando bastante e a receita caiu muito bem com uma polenta cremosa e bem quentinha. Marido aprovou e disse que ficou melhor que a enlatada, pois é fresca e sem conservantes. Ele é suspeito, pois gosta muito de sardinha, mas eu também gostei muito e vou repetir a receita. 
 
 
 
Ingredientes:

800 g de sardinha
4 dentes de alho amassados
1 1/2 cebola
1 pimentão verde
2 tomates
1/2 x. (chá) de óleo
1/2 x. (chá) de vinho branco seco
1/2 x. (chá) de  água
1/2 sachê de molho de tomate (0% gordura)
sal à gosto
cheiro verde à gosto

Modo de fazer:

Limpe a sardinha (tire as escamas, as víceras, a cabeça e o rabo), lave em água corrente e tempere com o alho e sal. Reserve.
Pique a cebola, o pimentão e o tomate em cubos pequenos, misture-os e reserve. Pique o cheiro verde e reserve.
Numa panela de pressão, coloque 1/2 da mistura de cebola, pimentão e tomate picados, por cima arrume todos os peixes, e cubra com o restante da mistura. Acrescente o óleo, o vinho, a água e o molho pronto apenas regando, sem mexer, e acerte o sal conforme seu gosto. Tampe a panela e leve ao fogo; quando começar a "chiar", marque 40 minutos. Esse tempo é importante para que todas as vértebras fiquem bem molinhas para que possam ser comidas junto com a carne do peixe. Passado esse tempo, desligue o fogo e deixa a panela perder a pressão sozinha. Sirva salpicada de cheiro verde, acompanhada de um arroz branco, ou uma polenta, ou ainda uma massa ou um pão italiano levemente tostado. Bom apetite a todos que gostarem de sardinha.

Hoje aqui em casa, eu servir com polenta, pois era para o almoço e o tempo está bem friozinho. Ficou uma delícia e terá repeteco em outra oportunidade.

Obs.: o molho que resulta do cozimento é muito gostoso, mas achei um pouco oleoso. Da próxima vez vou reduzir à metade e volto aqui para contar o resultado.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails